Feeds:
Artigos
Comentários

MIBE 2018 | Eu ♥ biblioteca escolar

cartaz.mibe2018

O tema definido para o ano de 2018 pela International Association of School Librarianship (IASL) para o International School Library Month (ISLM)  para assinalar este mês de outubro é: “Why I love my school library”. A RBE (Rede de Bibliotecas Escolares) procurou uma formulação que melhor traduzisse para a língua portuguesa a ideia transmitida, optando por uma linguagem híbrida em que todas as gerações se reveem: “Eu ♥  biblioteca escolar”.

Para além das propostas da IASL, a Rede de Bibliotecas Escolares lança o habitual desafio digital (utilizando a hashtag #Eu♥BE) para assinalar o Mês Internacional das Bibliotecas Escolares (MIBE) e celebrar a importância das bibliotecas e de tudo o que têm de bom, organizados este ano em duas categorias: os alunos e os professores bibliotecários, num reconhecimento ao trabalho do professor bibliotecário, enquanto chave para a afirmação da biblioteca na escola. É a paixão com que cada professor bibliotecário se dedica ao que faz que eleva a biblioteca para além de um espaço diferenciado, integrador e participativo, assumindo o seu lugar como estrutura pedagógica e comunidade colaborativa de aprendizagem, procurando sempre ampliar o seu papel educativo.  Para a professora bibliotecária Carla Nunes, as bibliotecas escolares devem assumir-se como espaços de criação, descoberta e aprendizagem e não apenas no sentido criativo, mas também como lugar vivo que responde às necessidades e desejos da sua comunidade. Aprendizagem, criação, cooperação e inovação, é isso, em suma, o que significa bibliotecas neste século. Ali espera-se que os utilizadores encontrem ferramentas e recursos, ao mesmo tempo que se encontram uns aos outros neste que é um lugar de felicidade nas escolas.

E muitas vão ser as atividades ao longo do mês de outubro nas duas bibliotecas (Afonso de Paiva e S. Tiago) do Agrupamento Afonso de Paiva:

  • Formação do Utilizador (1º e 5º anos)
  • Animação de Leitura (3º e 4º anos)
  • Desafios RBE
  • Concursos e Passatempos
  • Feira de Jogos Didáticos (parceria Asa)
  • Bookmark Exchange Project (8º anos)
  • Exposições
  • Instalações Temáticas

Em outubro e seguindo a tradição, são iniciadas as requisições domiciliárias dos alunos do 1º ciclo das EB Afonso de Paiva e S. Tiago, assim como as atividades do Clube de Leitur@s e o Programa Itinerâncias “Malas com Rodas Cheias de Histórias”, em parceria com a Biblioteca Municipal de Castelo Branco, para as escolas e jardins de infância do agrupamento que não dispõem de espaço físico de biblioteca, distribuindo malas contendo livros e alguns materiais de complemento à sua utilização.

Como habitualmente, o Dia Internacional da Biblioteca Escolar será assinalado na quarta segunda-feira de outubro, dia 22, este ano com a apresentação oficial à comunidade educativa, dos trabalhos realizados e recursos produzidos no âmbito do projeto “Ler, Contar e Recontar” | Ideias com Mérito da RBE, assinalado com uma sessão de mediação leitora, exposição e instalação temática e uma apresentação audiovisual.

Anúncios

banner–1339X278PX3-1-768x159


Numa organização conjunta entre a Câmara Municipal de Castelo Branco, Centro de Cultura Contemporânea e a Rede de Bibliotecas Escolares, o Concurso Ibérico “Três Imagens…Quantas emoções?” é uma iniciativa que decorre da Ilustrarte’18 – VII Bienal Internacional de Ilustração para a Infância, patente no Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco até ao dia 7 de outubro de 2018. Este concurso pretende incentivar a criatividade literária e multimédia dos jovens, sensibiliza-los para a dimensão estética, promover a multiliteracia, estimular a utilização de diversos suportes de criação e promover a escrita criativa.
O concurso é aberto a alunos, portugueses e espanhóis, matriculados no ensino básico, secundário e superior, público ou privado. Os concorrentes terão que fazer prova da visita à exposição, e as ilustrações ali expostas deverão servir de inspiração ao trabalho a apresentar a concurso. Os interessados podem participar de duas formas:

  1. 1º e 2º ciclos –  em suporte escrito, texto de poesia ou narrativo.
  2. 3º ciclo, secundário ou superior – dois suportes, escrito e/ ou multimédia

A pré-inscrição decorre online (em formulário próprio) até ao dia 8 de outubro. Os concorrentes deverão inscrever-se na categoria correspondente ao ano letivo que frequentaram no ano letivo 2017/18.

Os trabalhos deverão ser entregues até 11 de novembro e a divulgação dos resultados está agendada para o dia 10 de dezembro.
O regulamento do concurso, a ficha de Inscrição e demais documentos estão disponibilizados na página da Câmara Municipal de Castelo Branco e nas páginas dos parceiros da iniciativa.

Participa! Qual é a tua ideia?

Regulamento do Concurso Descarregar: Português / Espanhol 

regulamento_PT

regulamento_ES

Versões a Preto e Branco

regulamento_CB_PT_PB

regulamento_CB_ES_PB

Cartaz em Português / Espanhol

cartaz_PT

cartaz_ES

Formulário de Manifestação de interesse em participar no Concurso AQUI 

 

logo_final

O Prémio Internacional de Poesia António Salvado – Cidade de Castelo Branco nasce de opções programáticas assumidas pela Câmara Municipal e pela Junta de Freguesia de Castelo Branco, como forma de homenagear o poeta albicastrense António Salvado, premiar obras poéticas inéditas e incentivar o aparecimento de novos autores, cumprindo o duplo objetivo de promover a cultura e honrar aqueles que constituem o património vivo das comunidades a que pertencem.

As candidaturas estão abertas desde o dia 25 de maio e formalizado o registo na página em linha criada para o efeito – http://www.premio-poesia-antoniosalvado-ccb.pt/ – podem ser submetidas até 31 de agosto.

Regulamento

Muito obrigada 👍👌😊😉😀📚

Cartazdiadoagrupamento.be.2018

Hoje, 1 de junho, assinala-se o Dia Internacional da Criança e no Agrupamento de Escolas Afonso de Paiva não há aulas – declarámos o Dia da Criança como o Dia do Agrupamento e, por entre muitas outras atividades, é claro que não podiam faltar muitas histórias fantásticas, contos populares e rimas de encantar nas nossas bibliotecas escolares. UMA ABADA DE HISTÓRIAS lidas, contadas e cantadas pelas vozes da educadora Maria da Luz Lopes e da professora Carla Nunes da equipa das bibliotecas escolares.

Relembramos que este Dia foi criado em 1950, alguns anos após o fim da II Guerra Mundial, para sensibilizar a comunidade internacional para os problemas que atingiam tantas crianças no mundo. Num cenário de flagelo em termos sociais e humanitários, a Federação Democrática Internacional das Mulheres e a ONU quiseram defender as crianças dessa destruição.

Este é um dia que que não queremos deixar de assinalar e relembrar enquanto existirem no mundo crianças a quem são negados os direitos e os cuidados mais básicos – amor, saúde e segurança.

As Bibliotecas Escolares em articulação com a Oficina de Artes do Agrupamento de Escolas Afonso de Paiva desenvolvem o projeto “Livros Animados” desde 2014. Este projeto consiste em (re)ciclar livros velhos, deteriorados ou desatualizados e (re)criar em formato 3D livros com emoções e sentimentos. Os alunos em contexto de oficina e uma vez escolhida a emoção transformam os velhos livros, numa base de ilustração e construção criativa. Segue-se uma fase de experimentação de técnicas, de cortes e colagens, com uma ilustração/ construção tridimensional repleta de formas e imagens originais, usando diferentes tipos de materiais, materiais recicláveis, colagens, carimbos e impressões, bem como diversos materiais de pintura, desenho e outros registos, criando livros animados. Neste momento contamos já com oito livros construídos pelos alunos, cada um de acordo com as propriedades únicas de cada uma das emoções ou sentimentos selecionados.

 

Livros_Animados

Com este projeto e para além da promoção do trabalho articulado e colaborativo, pretendemos sensibilizar os participantes para a importância de reciclar e recriar com materiais desgastados, experimentar técnicas de trabalhos manuais, promover a auto-expressão e o desenvolvimento de projeto individual e desenvolver a imaginação e a criatividade, dando uma nova vida a livros velhinhos.

Aqui fica a galeria de fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

22 de maio | Dia do Autor Português

22autor22

Fonte da imagem: incm

 

O Dia do Autor Português, instituído há 35 anos, reconhece a importância do autor das mais variadas áreas artísticas. Homenageia quem ajuda a sonhar, quem transmite emoções, quem enriquece a nossa cultura e aumenta os nossos conhecimentos.

É, pois, deveras importante que a criança, desde o jardim de infância, esteja em contacto com histórias e autores portugueses, pois partilham a mesma língua, a mesma cultura. E temos excelentes autores e livros maravilhosos.

São os autores portugueses que podem interagir com eles em encontros, demonstrando-lhes que a pessoa que escreveu determinada história é alguém com quem podem falar, e até tocar, e esse é um fator crucial para a criança começar a ter uma relação especial com os livros e mais tarde vir a descobrir o prazer da leitura.

Os educadores de infância são muito importantes na medida em que estão a ajudar a desenvolver a personalidade da criança, a pensar, a brincar, a sonhar, a interagir com os outros, e preparam- nos para a fase seguinte: a escola.

Na minha infância nunca tive ninguém que me lesse uma história nem estive em nenhum jardim de infância, e, apesar de já inventar as minhas histórias aos 3 anos, o meu contacto com os livros só se deu na escola. A partir daí tive de ler e escrever às escondidas dos meus pais, porque eles não viam isso com muito agrado, não compreendendo aquela minha necessidade de escrever e devorar todos os livros que apanhava pela frente. Por essa razão, gosto muito de conhecer os meninos dos jardins de infância e as respetivas educadoras.

Um livro para crianças deve ser divertido, emocionante, cativante e transmitir algo importante, pois é uma ferramenta essencial na formação e educação da criança, podendo incutir-lhe bons valores e ajudá-la a distinguir o bem e o mal.

Mesmo para os mais pequenitos, procuro sempre transmitir esses valores humanos e conhecimentos que estimulem a sua capacidade de raciocínio.

Como autora, sinto-me muito grata por viver um sonho que tive quando escrevi o primeiro livro aos 11 anos: escrever histórias como profissão. Um sonho concretizado que ao longo destes 23 anos me proporcionou, como escritora, visitar centenas de escolas, conhecer centenas de professores e educadores fantásticos, e contactar com milhares de crianças. A forma calorosa como sempre fui recebida e a amizade que me dedicam têm-me ajudado a crescer e a tornar-me uma pessoa melhor. Dá-me um prazer enorme escrever e receber depois o seu entusiasmo, demonstrando-me um carinho especial por saberem que escrevi para eles.

A necessidade de escrever para os mais pequenitos surgiu a pedido deles, quando acompanhavam os irmãos mais velhos, nas sessões de autógrafos das minhas coleções infantojuvenis. Apareciam- -me com livros do Noddy e da Anita para eu os autografar, e, quando eu lhes dizia que não o podia fazer, já que não tinham sido escritos por mim, olhavam-me muito ofendidos e escandalizados, perguntando-me então porque é que eu não escrevia para eles também e se eu não gostava dos meninos mais pequenos.

O Coelhinho pretende transmitir às crianças valores tão importantes como a generosidade, a solidariedade e a amizade. O tema da poupança é abordado neste livro, mostrando à criança que é uma coisa boa, desde que não se torne em avareza, porque as pessoas são muito mais importantes do que o dinheiro. O equilíbrio é um fator imprescindível em tudo.

Na minha experiência com os jardins de infância e as escolas abordo a questão de uma maneira simples. Em determinados pontos da história tento envolvê-los, fazendo duas ou três perguntas, para descobrir se apreenderam a mensagem. No final faço outras perguntas, mais fáceis ou difíceis, conforme a idade deles. A vantagem é interagir com as crianças e ajudar a divulgar esses mesmos valores, entender não só a postura deles mas também a forma como assimilam a mensagem, os conhecimentos. E tenho tido imensas surpresas com os mais pequenitos. Por vezes até fico impressionada com as respostas que eles dão, principalmente quando lhes pergunto o que pode ser considerado tesouro, sem ser dinheiro. Já tive respostas deveras inesperadas: vida, saúde, alegria, amor, felicidade, água, nuvens, Sol, estrelas e até o porquinho de estimação.

Fico sempre maravilhada com a extraordinária capacidade que eles demonstram, mesmo não sabendo ainda ler, ao captarem e compreenderem a mensagem do livro, interagindo com entusiasmo.

Por isso, queridas educadoras, não só no Dia do Autor Português, mas em todos os outros dias do ano, deixo-lhes a sugestão que lhes leiam livros de autores portugueses. Talvez se surpreendam agradavelmente e descubram que nada ficam a dever aos autores de renome internacional.

Isabel Ricardo (autora de livros infantis)

Fonte: portoeditora

 

 

Curiosidade:
O Dia do Autor Português é assinalado a 22 de maio desde 1982. Esta data foi instituída pela Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), numa iniciativa do maestro Nóbrega e Sousa. Este dia coincide com o aniversário da SPA que tem por missão gerir os direitos de autor bem como representar todos os autores portugueses (também os seus sucessores e cessionários) das áreas literárias e artísticas que nela estejam inscritos.

Educação para a Sexualidade

Recursos para Jardim de Infância e Ensino Básico (1.º e 2.º Ciclos)

TRANSMAGINAR

um (re)encontro com o mundo dos livros...

Cultura LIJ / ISSN 2545-6849-10

Revista de Cultura y Literatura Infantil y Juvenil - ISSN 2545-6849-10 Marzo 2018

Literacia de Informação

Da Informação ao conhecimento com a biblioteca escolar

Hipermediaciones

Conversaciones sobre la comunicación digital interactiva

Amora negra

Página do escritor e contador de histórias Carlos Alberto Silva

A maioria das pessoas que caminhem atrás de mim serão crianças, por isso manterei os passos curtos." Hans Christian Andersen

BECRE-AEPM

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos Educativos do Agrupamento de Porto de Mós

Pegada-de-papel

Blogue das Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Bibliotecas são Comunidades

As bibliotecas são Comunidades

Cinema Sem Conflitos

Prevenção e mediação de conflitos em contexto educativo

%d bloggers like this: