Feeds:
Artigos
Comentários

11111626_847380252022033_7463658540934838620_n

Para assinalar o Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e Desenvolvimento, o município de Castelo Branco, através do seu Projeto “Unir Culturas” no âmbito do Projeto de Mediação Cultural em Serviços Públicos, reúne hoje, dia 27 de maio, um vasto programa, onde consta uma exposição de trabalhos dos alunos do 1º ciclo do AE Afonso de Paiva que participaram na Atividade “Conto um Conto Acrescento um Ponto”, inserido no Projeto Passaporte Global da Associação Amato Lusitano de Castelo Branco, desenvolvida ao longo do ano com as turmas de 3º e 4º ano da EB S. Tiago, 3º ano da EB Mina e 3º e 4º ano da EB Castelo.

Aos alunos foram proporcionadas sessões de promoção de interculturalidade a partir da história “Meninos de todas as cores” de Luísa Ducla Soares, numa vertente de acolhimento e integração de comunidades imigrantes.

Os trabalhos expostos podem ser apreciados hoje, entre as 14h e as 19h no Cybercentro de Castelo Branco.

Amanhã, sexta-feira, dia 22 de maio, a partir das 18h, no Agrupamento de Escolas Afonso de Paiva.

images

Muitas são as histórias ligadas à alimentação e hábitos saudáveis, onde não faltam, é claro, histórias de e com sopas.

A tua biblioteca, como habitualmente, lá estará com a sua canjinha carregadinha de letras com sabor a histórias! Porque são as histórias, os sabores e os cheiros que nos definem, que fazem parte da nossa herança familiar e cultural e que contam muito de nós e dos outros.

Esta quarta edição do festival das sopas é também uma homenagem à história de vida do patrono do agrupamento, o cavaleiro Afonso de Paiva, e as sopas incluem referências específicas aos países que visitou na sua rota.

Ficamos à vossa espera!

ca

A segunda etapa deste festival, este ano sob o mote “Lugares Imaginários”, decorre de 18 a 24 de maio, com especial destaque para o fim de semana de 23 e 24 maio, dias em que se realiza o encontro de escritores.

São 20 escritores de várias gerações no mesmo cenário real, a Serra da Gardunha, em tempo de cerejas. Esta segunda edição do Festival Literário da Gardunha, entre outras surpresas e momentos de relevo, reunirá à mesma mesa, no encerramento, o filosofo e ensaísta Eduardo Lourenço e o humorista e cronista Ricardo Araújo Pereira.

Aqui fica o programa:

11329777_467445673432258_3606688819873201248_n

Podem saber mais AQUI e AQUI.

11150708_1058521997509978_6303228229486023475_nO Município de Alcobaça vai, pelo segundo ano consecutivo, promover, divulgar e premiar a arte literária e a arte-vídeo. De 1 a 10 de junho, traz aos cafés e espaços da cidade dezenas de escritores, ilustradores, cineastas e artistas profissionais, que, num clima de diálogo, de tolerância e de abertura, vão partilhar as suas experiências com os leitores e amantes do cinema. Isabel Stilwell, Mário Cláudio, João Tordo, Milene Matos, David Machado, Marc Parchow são alguns dos nomes fortes do festival, que, para além das conversas literárias e projeção cinematográfica, incluiu exposições, teatro, música, Rock Fest do Museu do Vinho, Mercado do Livro, workshops de produção de livros e de ilustração, atividades lúdicas e uma grandiosa produção de teatro de rua – A Viagem do Elefante, baseada na obra de José Saramago.

Mais informações na página FACEBOOK do evento:

macau

A coleção de 10 livros: “A Civilização do Rio Amarelo”; “Escolas filosóficas chinesas”; “As Viagens de Marco Polo”; “Os portugueses em Macau”; “As primeiras instituições de Macau”; “O Comércio Europeu na China e na Ásia do Sudoeste”; “Macau na época da guerra do ópio”; “O fascínio dos europeus pela China no final Século XIX”; “Macau no século XX”; “Cronologia” é a mais recente da Biblioteca Digital Fundação Jorge Álvares, passando a 3 o número de coleções digitais disponíveis.

Os livros organizam-se em coleções e abordam os seguintes temas: Tradições de Macau e da China; História de Macau; e Como é Macau. Cada coleção apresenta vários livros que abordam transversalmente as temáticas lecionadas pela Escola Portuguesa de Macau.

Fonte: lerebooks

A edição deste ano do Fronteira – 3º Festival Literário de Castelo Branco, promovido pela Câmara Municipal de Castelo Branco, numa organização da Booktailors, realizou-se nos dias 10 e 11 de abril e terminou no dia 4 de maio, numa sessão de homenagem às palavras, pois como disse Mia Couto no Cine-Teatro de Castelo Branco “não se devem homenagear os autores, mas sim alguma coisa que é muito mais importante que os escritores, os livros e a leitura e essa relação de intimidade que a leitura proporciona”.

No âmbito da educação literária no 1º ciclo e ao longo do segundo período foram lidas, estudadas e analisadas duas obras do escritor moçambicano: “O gato e o escuro” e “O beijo da palavrinha” e como forma de assinalar o dia da visita do autor à cidade albicastrense, os alunos do 1º ciclo do agrupamento de escolas Afonso de Paiva decidiram “por ao vento” as palavras e as histórias e com um estendal de textos, excertos, ilustrações, poesias visuais e muito mais realizadas a partir das palavras de Mia Couto, os nossos alunos homenagearam assim os livros e a leitura, (re)descobrindo e (re)inventando palavras e leituras.

estendalario_2 estendalario_1

O “Estendalário” marcou o arranque de um abril dedicado ao escritor moçambicano nas bibliotecas escolares do agrupamento Afonso de Paiva, num mês cujo programa foi muito vasto e contemplou sessões de declamação, leitura, montras de livros, apresentações interativas e mostras biobibliográficas do escritor e poeta, assim como apresentações de alguns trabalhos dos alunos em suporte de papel e digital, nas bibliotecas escolares do agrupamento.

A iniciativa levada a cabo pela biblioteca escolar Afonso de Paiva em estreita colaboração com o departamento do 1º ciclo estendeu as palavras do escritor moçambicano Mia Couto aos alunos, difundindo e promovendo a lusofonia e o escritor e poeta. O “Estendalário” esteve no Cine-Teatro no dia 4 de maio e estará “ao sol” na escola Afonso de Paiva durante a última semana de maio, onde poderá ser visto e apreciado pela comunidade educativa.

estendalario_3 estendalario_4 estendalario_5

A escola é um meio para querermos o que não temos. A vida, depois, nos ensina a termos aquilo que não queremos.” (Mia Couto)

A 3.ª edição do Fronteira — Festival Literário de Castelo Branco conta no seu último dia, amanhã, segunda-feira, dia 4 de maio, com uma sessão especial de homenagem a Mia Couto.

O escritor moçambicano estará presente no Cine-Teatro Avenida pelas 21.30h. A entrada é livre, mas os bilhetes terão que ser levantados na bilheteira do Cine-Teatro.

Contamos com a vossa presença!

miacouto_4maio

Narração Oral

um (re)encontro com o mundo dos livros...

BLOGUESQUÍO

um (re)encontro com o mundo dos livros...

O verão a correr

um (re)encontro com o mundo dos livros...

Folhas de Papel

O ler faz um homem completo, o conferir destro, o escrever exacto. - Reading maketh a full man, conference a ready man, and writing an exact man.

A inocência descompensada

um (re)encontro com o mundo dos livros...

A inocência recompensada

um (re)encontro com o mundo dos livros...

myple.carlanunes

Ambiente Pessoal de Aprendizagem

Diigo Blog

Better Reading, Better Research, Better Sharing

Caderno de Pintar

um (re)encontro com o mundo dos livros...

International Book Giving Day 2015

Give a book on Valentine's Day

Competência Informacional para Bibliotecários

um (re)encontro com o mundo dos livros...

Leitura por prazer ou o prazer da leitura

um (re)encontro com o mundo dos livros...

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 652 outros seguidores