Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Formação Cívica’ Category

Mais uma vez e como forma de assinalar o Dia da Internet mais Segura, iniciativa Europeia que se comemora em Portugal a 6 de fevereiro e se alarga a todo o mês de fevereiro, os professores de Informática em colaboração com a professora bibliotecária do Agrupamento de Escolas Afonso de Paiva, entre outras atividades destinadas a alunos de outros níveis e ciclos de ensino, organizam uma sessão de sensibilização que assinala esta mesma iniciativa, sob o tema deste ano: “Cria e partilha com responsabilidade: uma melhor internet começa contigo”, destinada aos cerca de 150 alunos de 5º ano e os seus diretores de turma, no âmbito da área temática “Educação para os média” na disciplina de “Educação para a Cidadania” da Oferta de Escola do Agrupamento.

cartaz

Com esta já conhecida iniciativa, os professores de informática e a professora bibliotecária visam promover a adoção de comportamentos e atitudes adequados a uma utilização crítica e segura da internet e das redes sociais pelos alunos e professores.

 

Anúncios

Read Full Post »

O Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto (27.janeiro) foi o pretexto para mais um encontro de autor promovido pelas Bibliotecas Escolares do AE Afonso de Paiva, em parceria com a Editora Asa, no passado dia 29 de janeiro, que marcou o início das atividades decorridas ao longo da semana, numa singela homenagem #paranãomaisesquecer.

À conversa com João Pinto Coelho, arquiteto, professor e o mais recente escritor português distinguido com o maior galardão literário do país, o prémio Leya 2017, atribuído ao seu romance “Os loucos da rua Mazur”, estiveram cerca de uma centena de alunos e uma dezena de professores do AE Afonso de Paiva, numa oportunidade de regressar ao cenário da Segunda Guerra Mundial pelas palavras do escritor que, fruto de talento e décadas de leituras e estudo sobre o Holocausto e investigações recentes, resultantes de duas ações do Conselho da Europa que integrou, nos levou às entranhas de Oświęcim (Auschwitz), a cidade polaca que já foi um lugar feliz, reescrita a cinzas pelos nazis na memória da Humanidade.

 

 

João Pinto Coelho registou que “mais do que respostas, o Holocausto devolve, cada vez mais, perguntas” e que por isso, não se cansa de semear dúvidas e inquietações entre mentes jovens quando vai às escolas falar do tema: “Aprendemos pouco com a História”, assinala, “Continuamos certos da nossa bondade e incapacidade de fazer coisas terríveis”, desafiando todos os presentes os presentes para olhar o Mal onde nunca o vemos: dentro de nós. O escritor captou totalmente a atenção de toda a plateia, quer pelo tema, quer pela (re)construção da tragédia, assim como os tempos paralelos que nos apresenta nos seus dois romances: “Perguntem a Sarah Gross” e “Os loucos da Rua Mazur”, um livro que nos dá a conhecer um lado diferente da Segunda Guerra Mundial, um livro sobre “a universalidade do mal e não sobre a sua banalidade”, como refere João Pinto Coelho.

As Bibliotecas Escolares Afonso de Paiva para além de estimularem a criação literária e o gosto pela leitura, estreitando laços entre os livros e os leitores, pretendem sempre ajudar e apoiar alunos e professores a entender melhor a importância da palavra e da literatura, bem como as transformações que hoje definem o mundo à nossa volta, com a promoção destes encontros e conversas com autores, na promoção de um trabalho de leitura empenhada, envolvida, que devolve a competência de ler nas crianças e jovens.

Read Full Post »

d433202dd708ff711a72952d0a2b333a_XL

AS CRIANÇAS TÊM DIREITOS

A 20 de novembro de 1989, as Nações Unidas adotaram por unanimidade
a Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC), documento que enuncia um amplo conjunto de direitos fundamentais – os direitos civis e políticos, e também os direitos económicos, sociais e culturais – de todas as crianças, bem como as respetivas disposições para que sejam aplicados.

Este tratado internacional é um importante instrumento legal devido ao seu carácter universal e tembém pelo facto de ter sido ratificado pela quase totalidade dos Estados do mundo (192). Apenas dois países, os Estados Unidos da América e a Somália, ainda não ratificaram a Convenção sobre os Direitos da Criança.

Portugal ratificou a Convenção em 21 de setembro de 1990.

A Convenção assenta em quatro pilares fundamentais que estão relacionados com todos os outros direitos das crianças:

• a não discriminação, que significa que todas as crianças têm o direito de desenvolver todo o seu potencial – todas as crianças, em todas as circunstâncias, em qualquer momento, em qualquer parte do mundo.

• o interesse superior da criança deve ser uma consideração prioritária em todas as acções e decisões que lhe digam respeito.

• a sobrevivência e desenvolvimento sublinha a importância vital da garantia de acesso a serviços básicos e à igualdade de oportunidades para que as crianças possam desenvolver-se plenamente.

• a opinião da criança que significa que a voz das crianças deve ser ouvida e tida em conta em todos os assuntos que se relacionem com os seus direitos.

A Convenção contém 54 artigos, que podem ser divididos em quatro categorias de direitos:

• os direitos à sobrevivência (ex. o direito a cuidados adequados)
• os direitos relativos ao desenvolvimento 
(ex. o direito à educação)
• os direitos relativos à proteção 
(ex. o direito de ser protegida contra a exploração)
• os direitos de participação
 (ex. o direito de exprimir a sua própria opinião)

Para melhor realizar os objectivos da CDC, a Assembleia Geral da ONU adotou a 25 de maio de 2000 dois Protocolos Facultativos:

 Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo à venda de crianças,
prostituição e pornografia infantis
 (ratificado por Portugal a 16 de maio de 2003);

 Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo ao envolvimento de crianças
em conflitos armados
 
(ratificado por Portugal a 19 de agosto de 2003);

 

 

Fonte: unicef

Read Full Post »

unnamed

O Dia do Nariz Vermelho é uma iniciativa de sensibilização junto da população para a importância da solidariedade social e que assume várias formas de angariação de fundos que revertem a favor da Operação Nariz Vermelho (ONV) com o objetivo de contribuir para a continuidade da missão.

As Bibliotecas Escolares do nosso Agrupamento associaram-se a esta iniciativa por acreditar que esta é a melhor forma de celebrar o Dia da Criança, uma oportunidade para estimular a responsabilidade social, o trabalho de equipa e o voluntariado entre todos os professores, alunos e pais do agrupamento, envolvendo-os numa causa social.

Pretendemos pois que o próximo dia 1 de junho, Dia da Criança, seja um dia diferente nos jardins de infância e escolas do AE Afonso de Paiva e todos, sem exceção, metam o nariz nesta causa!!

Por cada donativo de 2€ (dois euros) cada pessoa recebe um nariz vermelho e ao mesmo tempo que todos se divirtem com os narizes vermelhos e com ideias divertidas, eduquemos e sensibilizemos os alunos para as questões sociais, porque estar doente não tem graça nenhuma, o apoio, em forma de donativos é fundamental para ajudar os Doutores Palhaços a receitar alegria!

Dirijam-se às bibliotecas escolares Afonso de Paiva e S. Tiago para ir buscar os vossos narizes vermelhos!

SEJAM SOLIDÁRIOS E METAM O NARIZ POR ESTA CAUSA!

logo

Read Full Post »

O Clube de Leitur@s da Biblioteca Escolar Afonso de Paiva iniciou um novo capítulo na sua viagem pelo mundo das letras, dos livros e da leitura. A professora bibliotecária, Carla Nunes, propôs aos alunos do clube um Roteiro de Leitur@s pelas diferentes estruturas e espaços culturais do concelho albicastrense, tendo como objetivo principal a valorização do património local e regional, pelo conhecimento e interpretação das suas diferentes estruturas e espaços culturais, assim como dos múltiplos escritores, pintores, artesãos, escultores, entre outros, naturais da cidade.

E o primeiro capítulo foi dedicado à Casa da Memória Judaica em Castelo Branco, situada na rua das Olarias. No dia 3 de maio, os alunos do clube visitaram este novo espaço museológico, dividido em diferentes áreas e que pretende retratar a presença judaica na cidade, bem como distinguir algumas personalidades como o patrono do nosso Agrupamento, Afonso de Paiva, entre outros. O espaço pretende valorizar a presença judaica na cidade e acolhe a história da fundação da judiaria de Castelo Branco, os rituais, a inquisição e a memória de grandes judeus albicastrenses.

 

casadamemoriajudaica

 

Para o Clube de Leitur@s ficou clara a importância desta nova estrutura que para além de mostrar uma parte importante da história albicastrense, apresentando a zona antiga da cidade, os portados quinhentistas e a presença da memória judaica, é possível ainda observar uma maquete de Castelo Branco quinhentista e a sua ligação aos portados, bem como artefactos ligados aos judeus. Os alunos puderam ainda assistir em vídeo a uma peça de teatro que conta a história de Maria Gomes, presa em 1636 pela Inquisição quando tinha 115 anos de idade, sendo considerada a mais idosa vítima que se conheceu daquele tribunal, que depois de dois anos de interrogatório e de tortura acabou por ser queimada em auto-de-fé, já com 117 anos. A Educadora Maria da Luz Lopes, da equipa da biblioteca, contou ao clube, na primeira pessoa, um pouco desta história, por ela representada e encenada na peça “Lamento e Testamento de Maria Gomes”, num texto de José Dias Pires. Houve ainda tempo para percorrerem um “túnel escuro” onde são retratados a inquisição e a tortura, bem como um painel onde surgem evidenciados os nomes dos judeus albicastrenses que a inquisição condenou, sendo possível através de um sistema virtual saber informações sobre cada uma dessas pessoas.

Brevemente, o Clube de Leitur@s apresentará novos capítulos deste Roteiro de Leitur@s pela cidade de Castelo Branco, em mais uma iniciativa da Biblioteca Escolar Afonso de Paiva, procurando disseminar o conhecimento, valorizando e divulgando o património cultural local e regional, na tentativa de assegurar a transmissão de uma herança, cuja continuidade e enriquecimento unirá as gerações num percurso civilizacional singular.

 

 

Read Full Post »

mw-680-1

Numa iniciativa inédita, a Rede de Bibliotecas Escolares e a VISÃO Júnior organizam a eleição dos livros preferidos das crianças e jovens portugueses. A iniciativa conta ainda com o apoio da Comissão Nacional de Eleições, da Direção-Geral da Educação, do Plano Nacional de Leitura e da Pordata.

Às crianças e jovens, será dada a possibilidade, através de uma eleição realizada em todas as escolas, de votarem no livro + fixe, aquele que mais gostaram de ler até hoje. O processo será semelhante ao de umas eleições políticas, promovendo simultaneamente a leitura e a cidadania: haverá recenseamento, apresentação de candidaturas, campanha eleitoral, votação e escrutínio dos votos, organizados e participados por alunos.

Durante a campanha eleitoral, os alunos candidatos defenderão junto dos colegas os seus livros preferidos, podendo fazê-lo em comícios, cartazes, programas de rádio e televisão, sessões de esclarecimento, debates…

A iniciativa é aberta a todos os alunos do 1º ao 9º ano de escolaridade e decorrerá durante o ano letivo de 2016.2017. O resultado destas eleições, que apurará a lista dos livros que as crianças e jovens portugueses mais apreciam, segundo o ciclo de ensino que frequentam, será conhecido em abril, assinalando o Dia Mundial do Livro.

O Agrupamento já está inscrito e agora é a tua vez! Vamos lá participar!

Que livros podes apresentar nestas eleições? Todos os livros, sejam eles de prosa, poesia, banda desenhada ou teatro, podem ser candidatos. A escolha do livro candidato que concorrerá a estas eleições é tua.

Podes ler o REGULAMENTO e até 19 de dezembro decorre a fase de apresentação de candidaturas. Para tal, basta vires até à tua biblioteca e apresentar AQUI o livro que candidatas à eleição.

A tua professora bibliotecária está à tua espera para te apoiar nesta campanha!

mw-680

CALENDÁRIO:
Até 5 de dezembro
RECENSEAMENTO As bibliotecas escolares/escolas manifestam interesse em participar na iniciativa, preenchendo o formulário disponível aqui.

Até 19 de dezembro
APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Os alunos apresentam o livro que candidatam à eleição através do preenchimento do formulário disponível aqui.  (a decorrer)

5 de janeiro
DIVULGAÇÃO DA LISTA DOS LIVROS CANDIDATOS A lista será divulgada na VISÃO Júnior online e no portal da RBE.

Entre 1 de fevereiro e 15 de março
CAMPANHA ELEITORAL Os partidários de cada livro defendem as suas ideias nas escolas. A VISÃO Júnior fará a cobertura da campanha eleitoral, no seu site e na revista.

17 de março
VOTAÇÃO Será feita em urna, na biblioteca da escola ou noutro espaço da escola.

Até 27 de março
ESCRUTÍNIO Contagem e registo dos votos. Os agrupamentos/ escolas enviam resultados da forma que lhes for indicada posteriormente.

23 de abril
APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS ELEITORAIS
Divulgação em cerimónia pública.

 

Read Full Post »

A Brincar e a Rir o Bullying Vamos Prevenir é o primeiro jogo existente em Portugal direcionado para a prevenção primária da violência escolar.

Destina-se a crianças do 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico, mas também a pais, professores, educadores sociais, psicólogos, entre outros técnicos, preocupados em trabalhar junto dos mais novos esta problemática.

Atentos a este problema, apostamos na prevenção e, por isso, a Biblioteca Escolar S. Tiago irá desenvolver no próximo dia 29 de janeiro, entre as 15h e as 18h uma oficina destinada a alunos do 4º ano das escolas Afonso de Paiva e S. Tiago, orientada pela Educadora e autora do jogo, Cátia Vaz.

A oficina inclui uma apresentação do jogo educativo-pedagógico, em tabuleiro e digital, para além de outros jogos e dinâmicas de grupo a realizar com os alunos.

cartaz

 

 

Read Full Post »

Older Posts »

Literacia de Informação

Da Informação ao conhecimento com a biblioteca escolar

Hipermediaciones

Conversaciones sobre la comunicación digital interactiva

Amora negra

Página do escritor e contador de histórias Carlos Alberto Silva

A maioria das pessoas que caminhem atrás de mim serão crianças, por isso manterei os passos curtos." Hans Christian Andersen

BECRE-AEPM

Biblioteca Escolar / Centro de Recursos Educativos do Agrupamento de Porto de Mós

Pegada-de-papel

Blogue das Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Bibliotecas são Comunidades

As bibliotecas são Comunidades

Cinema Sem Conflitos

Prevenção e mediação de conflitos em contexto educativo

O Cão Leitor

Livros, Literacia e Literatura para crianças

A23 EDIÇÕES

A fine WordPress.com site

Anna Llenas

autora e ilustradora de libros

%d bloggers like this: